sábado, 30 de abril de 2016

Rui Veloso -- Bucólica


JMP - 1997






Bucólica - Miguel Torga / Rui Veloso


A vida é feita de nadas

De grandes serras paradas

À espera de movimento

De searas onduladas

Pelo vento

De casas de moradias

Caídas e com sinais

De ninhos que outrora havia

Nos beirais

De poeira

De sombra de uma figueira

De ver esta maravilha

Meu pai a erguer uma videira

Como uma mãe que faz

A trança à filha .




sexta-feira, 25 de março de 2016

Como queiram...


O malmequer é também o bem-me-quer e outras coisas.


"O malmequer é a designação dada a várias espécies da família das compostas, algumas das quais são também designadas de bem-me-quer, Crisântemo,calêndula e de margarida."

A imagem é minha, o texto é da .wikipedia

3 da tarde


3 horas da tarde de Sexta-feira Santa; pode também ser a hora de uma comunidade europeia que não consegue deixar nos seus tratados uma referência digna ao papel que o cristianismo teve na sua vida.

quarta-feira, 23 de março de 2016

Sara, Maria, morena, eu esperei...




Tiago Bettencourt na Casa da Música em 18 de Março de 2016


Sara

Sei que deste o teu melhor
Sei que foste o que o dia deixou
Sei que deste a tua dor
Não te soube dar o meu perdão
Mas talvez esta gota de água
De uma fonte afastada
Tenha mostrado o caminho
Talvez esta ponte escura
Onde a solidão trespassa
Talvez esta aventura
Tenha me levado a casa

Sara
Tudo o que dói Sara
No meu peito grita
Tudo o que acredita
Se fogo leva a dor, fica o que há depois
Longe da paixão, diz-me se há perdão
Sara

Não te soube encontrar
Quando o grito nos cegou
Fraco corpo sobre a praia
Leve sombra que o mar apagou
Mas talvez esta nova espada
Já de frente para a batalha
Nos possa mostrar o caminho
Talvez hoje o mar adentro
Onde o coração dispara
Onde o nosso amor de sempre
Pode nos levar a casa

Sara
Tudo o que dói Sara
E no meu peito grita
Tudo o que acredita
Se fogo leva a dor, fica o que há depois
Longe da paixão, diz-me se há perdão
Sara

Sara
Tudo o que dói Sara
E no meu peito grita
Tudo o que acredita
Se fogo leva a dor, fica o que há depois
Longe da paixão, diz-me se há perdão
Depois do que foi, diz-me se o que dói
Sara



quarta-feira, 2 de março de 2016

Asaf Avidan - Your Anchor [Acoustic]



Estás aí?


Publicado em SPACE DALY

Ele fez matemática, análise matemática, álgebra linear e geometria analítica, física I, II, III, IV, astrofísica e aeroespacial, química orgânica (e das outras) e em seguida passou aos altos estudos científicos.
Eu sempre gostei dele. Eu cresci a lê-lo - Tenho uma secção considerável da minha biblioteca com livros dele e é daqueles que, em ensaio de palavrear forte, eu diria que "nunca haviam ter morrido".
Olhou para a Terra numa fotografia tirada pela Voyager 1 e disse que era a nossa casa - Certo - que estava lá tudo o que conhecemos e ... e em que acreditamos - Bolas!
Nós humanos somos assim quando falamos - temos de contar com a boa-vontade de quem nos ouve.
Carl Sagan foi dos maiores difusores do conhecimento do Cosmos e de Ciência. Nunca deixou de expressar espanto pela incrível sina do big-bang - o aparecimento de estruturas "que pensam" - SAFA!
A apontar para um grão de pó fotografado a quatro mil milhões de milhas, por uma sonda construída por pequenos homens, disse-nos que tudo quanto conhecíamos estava no grão de pó.
Dá que pensar!  
Bem vistas as coisas, aquele "grão de poeira" nem é assim tão pequeno.
Estás aí, Deus?  

Sinalética fora de estrada



Imagem daqui 

sexta-feira, 26 de fevereiro de 2016

Táxi - Fio da Navalha






TAXI  -  FIO DA NAVALHA

Tu és completa e perfeita
Ela não é sequer bem feita
Tu pões-me à noite a sonhar
Ela tem angústia no olhar
Tu és do tipo cerebral
Ela é apenas emocional

Entre ficar e partir
Nem sempre é facil decidir
O fio da navalha
O fio da navalha

Tu és submissa nas tuas atitudes
Ela diz sempre palavras rudes

Entre ficar e partir
Nem sempre é facil decidir
O fio da navalha
O fio da navalha

Letra daqui

Entre ficar e partir

(No canto inferior direito o novo terminal de cruzeiros do porto de Leixões)

quinta-feira, 25 de fevereiro de 2016

As nozes e as vozes...



          Não é tanto pelo tamanho, ou teríamos conversas muito interessantes com girafas. Então, será por aquilo que fazemos com ele, e pelo que deixamos de fazer.

Imagem daqui

domingo, 14 de fevereiro de 2016

Zeca-te (sempre)

Fevereiro de 2016, o povo saiu à rua -
- Zeca-te, p´ra que te quero?
Grândolar é p´ra meninos,
viva a neutralidade fiscal.
Isto não rima mas é poesia responsável
e o povo ama-te, Costa.

video